quinta-feira, 7 de junho de 2018

Os 130 anos da viagem do Liberdade - Joshua Slocum


Os 130 anos da viagem do Liberdade - 1888-2018

“ O plano, em resumo, era o seguinte: não podíamos mendigar nossa viagem, nem podíamos ficar sentados sem fazer nada entre os nativos. Verificamos que permanecer em um país distante iria requerer mais coragem do que voltar para casa em um barco, que decidimos então construir com esse propósito.
Em 13 de maio (de 1888), dia da libertação dos escravos do Brasil, nossa embarcação foi lançada ao mar, e chamada de Liberdade. Sendo suas dimensões de 35 pés de comprimento no total, 7,5 pés de boca externa, e porão de 3 pés de profundidade, quem há de dizer que não era grande o bastante? (...)
Esse era o barco, ou canoa, como prefiro chama-la, no qual nos propusemos a navegar para a América do Norte e para casa. Todos estiveram ocupados durante a construção, e os infortúnios do passado haviam sido todos esquecidos.” 

Capitão Josua Slocum 1887 (fonte Google)
Segundo Eugênio Herkenhoff: “ Joshua Slocum, era Canadense de origem e naturalizado americano na idade adulta (...) Aos 11 anos já trabalhava com seu pai na confecção de botas de pesca para regiões alagadas, e as escondidas produziu uma maquete de um grande navio à vela que ao final seria o seu destino. Aos 14 fazia sua primeira experiência como cozinheiro de bordo e moço de convés de uma goleta de pesca entre o Canadá e o Alasca. Aos 16 anos embarcava em sua primeira viagem transatlântica como marinheiro rumo a Dublin, e a partir daí nunca mais abandonou o mar.”

Entre suas rotas a bordo do Aquidneck, se aventura pela costa das Américas. E em 28 de fevereiro de 1886, zarpa de Nova York com direção a Montevidéu, com um carregamento de querosene. Em meados de abril, chega a Cabo Frio, no Rio de Janeiro, apesar de ter desviado a rota, pois atravessou o atlântico com destino ao continente africano, como estratégia de navegação, devido as correntes de vento. A 05 de maio, o Aquidneck chega a Montevidéu.

Em junho do mesmo ano (data não especificada) chega ao porto de Antonina, para carregar erva-mate com destino a Buenos Aires. E em seu diário de bordo, Slocum nos narra a seguinte pérola: 

“ A gente de Antonina era gentil, extremamente hospitaleira e educada, vivendo geralmente com simplicidade, suas necessidades iam pouco além de seus recursos. A paisagem montanhosa vista do porto de Antonina é de cair o queixo; não ví lugar no mundo verdadeiramente mais grandioso e aprazível.* O clima também é perfeito e saudável. Quando estávamos lá, o único médico do lugar usava um casaco puído nos cotovelos por falta de clientela. Porto agradável é Antonina”
Imagem ilustrativa, Antonina em 1872.
Em 1 de junho do ano seguinte, 1887, retorna a Antonina, vindo do Rio de Janeiro com uma carga de farinha, vinho e três pianos.
Mas a data fatídica ao grande navegador a bordo do Aquidneck, entre os dias 26 e 30 de dezembro de 1887, seu navio naufraga em um banco de areia em meio a baía de Paranaguá.
Por força das circunstancias permanece na região e no início de 1888, decide construir um barco (ou canoa como ele chamava) de apenas 35 pés, que o levará para casa. A 13 de maio de 1888, a canoa é lançada ao mar e batizada de Liberdade, pois no mesmo dia a princesa Isabel decretara a abolição da escravatura no Brasil. A 24 de junho, o Liberdade zarpa da baía de Paranaguá (mais precisamente de Guaraqueçaba) rumo a Washington.

Imagem do Liberdade (Google)

Segundo Herkenhoff, “O barco foi doado ao Smithsonian Institution onde durante muitos anos ficou exposto a visitação pública.”
Em 14 de novembro de 1909, com 65 anos, em meio a uma situação meteorológica hostil, Joshua Slocum desaparece no mar a caminho da Venezuela e do Brasil (queria explorar os rios Orinoco e Amazonas).

SLOCUM e ANTONINA - ARMAZÉM DO MAR
Com a restauração pelo Iphan do Armazém Macedo, onde será instalado o Armazém do Mar, um grupo de adeptos a navegação e a história do Slogum, em Antonina, está em conversa junto a Superintendência Estadual, na possibilidade de agregar ao imóvel, espaço histórico e documental da passagem deste grande navegador, por nossa cidade e porto.

“A paisagem montanhosa vista do porto de Antonina é de cair o queixo; não ví lugar no mundo verdadeiramente mais grandioso e aprazível. O clima também é perfeito e saudável.”
Joshua Slocum.


Pesquisa de Eduardo Nascimento
Junho de 2018

 
Fontes de referencias - Saiba mais:
Livro ‘’Viagem do Liberdade’’:

Sobre a viagem comemorativa com uma réplica do Liberdade, o "Zane Spray":

 * o grife é do pesquisador.




terça-feira, 5 de junho de 2018

Arrendamento do Restaurante do CNA


O Clube Náutico de Antonina, abriu carta convite para apresentação de propostas de arrendamento ou cessão de uso do referido espaço na sede hangar. Propostas devem ser entregues na secretaria do Clube até o dia 20/06/2018 nos termos da carta convite. Interessados não precisam necessariamente ser sócios do clube.
A carta impressa encontra-se à disposição na secretaria e no edital do Clube, na Av. Conde Matarazzo, 999 -  Tel: 41 3432-1331.




quarta-feira, 30 de maio de 2018

FESTIVAL DE BLUES FICOU PARA JULHO


O Antonina Blues Festival é um festival de música que ocorre todos os anos em Antonina. O festival ocorre junto com o feriado de Corpus Christi, mas devido a greve dos caminhoneiros o festival foi transferido para os dias 06, 07 e 08 de Julho. . O festival é horizontal, ocorre nas ruas da cidade e em diversos cenários paisagísticos de importância histórica e natural (Nota dos Organizadores)

N.E. do Blog. É uma pena perder a data e a continuidade do evento, mas se fez necessário devido as incertezas do momento. Acho que os organizadores mediram os pros e os contras para chegar ao cancelamento do evento. Eu particularmente...não cancelaria.

domingo, 20 de maio de 2018

Mostra Fotográfica "Bicicleta" em Joinville


Exposição de 
Fotografia de Eduardo Nascimento e Pintura de Marcos Bento
Abertura Sábado, 26 de maio às 10h
Local: INSTITUTO INTERNACIONAL JUAREZ MACHADO
Joinville-SC
Aberta até 05 de agosto.
Edson Machado (Curador da Mostra) com Eduardo Nascimento e
Marcos Bento na Exposição realizada no MAC-PR em março de 2017.
 APAREÇAM!

terça-feira, 15 de maio de 2018

Viajar é preciso...

Foto meramente ilustrativa. Imagem da Calle Palma/Assucion.
Comemorações a Independência do Paraguay.
Vista da sacado dos meus aposentos.

Momentos ímpares

Ontem, em menos de 24 horas presenciei alguns momentos interessantes. Nos primeiros minutos do dia, me encontrava na recepção do Hotel Chaco, em Assunção PY, fazendo meu Chek-Out, pagando minhas despesas de hospedagem das seis diárias. Como a moeda oficial do Paraguai é o Guarani, a nota fiscal foi emitida naturalmente em Guaranis. Pela primeira vez, me senti milionário ao pagar ₲1.300.000,00 (um milhão e trezentos mil guaranis), equivalentes a U$240,00. Ao menos uma vez na vida paguei um milhão de alguma coisa, e desta vez foi em moedas.

Depois embarquei no voo programado Latam, Assunção-São Paulo, São Paulo-Curitiba. Quando faço viagens aéreas (poucas), tenho como hábito escolher as poltronas do corredor, por várias razões – que não vem ao caso – mas desta vez a cia trocou as minhas poltronas
(TICKET MILHAS) e me colocou na poltrona A1 (no voo SP/CWB) ou seja, primeira poltrona janela, na primeira fila. Interessante. Nunca tinha viajado nessa posição.
Durante o voo, comandante avisa que estamos chegando em Curitiba, e o tempo se encontrava nublado. Como estava na poltrona da janela, dei uma olhada, mas o nublado não era tão nublado. Cheio de nuvens brancas, esparsas, cheias de figuras, pareciam algodão. Olha que maravilha...parece sonho de criança. Me senti um anjo renascentista ou barroco, dos velhos e ilustrados catecismos que nos ensinavam que Deus e os anjos moravam nas nuvens. Aterrissamos e tudo passou.

Entre outros hábitos, quase sempre vou de carro próprio até o aeroporto e deixo-o no estacionamento – do próprio aeroporto -  pelo período da viagem. Desta vez, com a visita do meu filho mais velho, aproveitei e peguei uma carona até o Afonso Pena, bom...economizei alguns reais. O translado de volta, ficou a cargo da minha filha, que me deixou na rodoviária de Curitiba.
Confesso que há mais de vinte anos não fazia uma viagem de ônibus de Curitiba-Antonina. Foi muito legal. Na minha leiga visão, a rodoviária melhorou (considerando 20 anos) com carrinhos para bagagens e área restrita aos passageiros.
Na hora programada, embarquei no ônibus da Graciosa. Novo, bom, confortável, limpo, com ar-condicionado...e poucos passageiros. Metade desembarcou em Morretes. Para o destino Antonina, ficaram apenas cinco. Uns foram desembarcando pelo caminho...Batel, Estação Ferroviária...e finalmente a Rodoviária de Antonina. Desembarque de apenas uma pessoa: eu!

Pois é... nada importante. Mas valeu. Bom para refletir... E reafirmar: “Quanto mais gasto viajando, mais enriqueço. Nem que seja meu repertório de nuvens!”




quinta-feira, 19 de abril de 2018

Antonina terá festival de rock com três dias de música



O evento acontece entre os dias 20 e 22 de abril com programação gratuita no centro da cidade

Antonina vai receber pela primeira vez o Rock On Festival, festival de rock que reúne mais de 10 bandas curitibanas e do litoral entre os dias 20 e 22 de abril. Serão três dias de rock autoral misturado com interpretações de bandas que inspiraram os artistas.


De acordo com um dos idealizadores do Festival, Max Leean, a ideia foi usar o interesse turístico da cidade de Antonina para divulgar e fortalecer as bandas locais de rock’n roll. “Antonina é um polo turístico, a ideia é trazer mais turistas que curtem rock para conhecer e viver a cidade”, explicou. “A ideia é dar visibilidade ao trabalho autoral das bandas e ao mesmo tempo misturar os estilos de rock para agradar todos os gostos”, disse.
Na sexta-feira (20), a festa começa no Bar Plexus em Antonina, às 20h30. A festa fica por conta da banda curitibana Red Foot, 2 Blees tocando post punk e a banda Some Girls tocando cover de Rolling Stones. A festa segue com DJ Moa Leal. O ingresso custa R$ 10.

No sábado, o festival continua com uma programação gratuita na praça central de Antonina. Por lá, a festa começa com uma exposição de bicicletas antigas às 10h. Já a programação musical começa ao meio-dia, com a Orquestra Filarmônica Antoninense apresentando clássicos do Rock. Logo depois a diversão é para pais e filhos com o Rock Kids - apresentação de canções de rock especial para crianças. A programação segue com as bandas Carne de Onça, As Cigarras, Secret Society, No Milk Today e Punkake. Entre os shows, a apresentação é com o DJ argentino Jeronimo Gonzales.
Ainda no sábado, a festa continua no Salão de Pedras do Hotel Camboa Antonina com o lançamento do disco “Sopa de cabeça de Bagre” da banda Escambau. A entrada também custa R$ 10.
As atrações do domingo (22/04) serão anunciadas em breve! O Festival Rock On é uma realização do Hotel Camboa em parceria com a Feito - Casa de Produção e conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Antonina.
Fonte: Gazeta do Povo/LAURA BEAL BORDIN 10/04/2018



segunda-feira, 16 de abril de 2018

Livro de poesias


Quinta-feira, 19 abril, às 20 h na Pousada das Laranjeiras-Antonina, será o lançamento do livro de poesias "O cochilo do céu" do artista e poeta capelista Marcel Fernandes. Além da noite de autógrafos haverá performance e bate-papo com artistas e convidados. 



Prestigiem!

S.O.S. Baía de Antonina

Limpeza e retirada da vegetação da Orla Marítima de Antonina!

Quando as autoridades competentes não fazem suas partes, a sociedade tem que reivindicar seus direitos.

O Movimento Viva + Antonina está promovendo um abaixo assinado com objetivo de sensibilizar os órgãos ambientais para que reconheça a Orla Marítima de Antonina como área de utilidade pública, de interesse social e emita Licença Ambiental Permanente para a limpeza e retirada de sua vegetação e pequeno trecho nas redondezas do Mercado Municipal e Pç. da Feira-mar.

Participe assinando e divulgando aos amigos em sua comunidade e compartilhando nas suas redes sociais.
O abaixo assinado está disponível nos seguintes locais:


Loja Gol, Loja Pica Pau, A Barateira, Maringá Embalagem, D´Lú, Bicicletaria do Jorginho, Porto Capela, Caldo de Cana Colina (em frente a lotérica), Bicicletaria do Mário, Jekiti Lanches da Irene, Cantina da Fátima, Papelaria Pacholeke, Aviário Terra Fértil, Alô Alô Antonina, Empório das Ervas, Padaria Maná, Chaveiro Sapateiro, Farmácia Hiperfarma, Loja Real Brasil, Loja AM Modas, Lojas do Omar (em frente ao posto de combustível), Padarias Bittencourt, Josiele Cúnico Supermercado Zanetti, Célia Manicuri, Aviário Canarinho e
Academia Pró-Corpos.

Participe. Juntos seremos mais fortes!

Imagens meramente ilustrativa