quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Exposição de fotos GINGA

Acompanho o trabalho da fotógrafa Flavia Kaline, desde seus quinze anos de idade, 
quando se aventurou a participar de um curso de fotografia por mim ministrado, durante o
 Festival de Inverno da UFPR, lá pelos anos de 2003. Sua primeira exposição individual GINGA, mostra sua personalidade e seu vigor em viver e fazer da fotografia seu ser. 

Abertura ao público no sábado, dia 10 de dezembro, no Arquivo Público Municipal de Antonina. 
Vale a pena conferir!

Planejamento Zero...Vale a pena ler de novo?!?!?!

Imagem meramente ilustrativa

Publicado em 08/12/2011

PLANEJAMENTO ZERO

 

Seja qual for o tipo de empreendimento, do menor estabelecimento comercial à maior empresa de qualquer ramo, o planejamento financeiro é o alicerce de quem realmente quer obter um bom resultado e, principalmente, sucesso no empreendimento.
Não sou do ramo, mas a vida me fez um aprendiz solitário, sendo que desde meus quinze anos de idade – como trabalhador menor e com carteira registrada – me ensinou a gastar menos do que recebia de salário.
Lembro muito bem que, sem nenhuma consciência administrativa, quando recebi meu primeiro salário mandei reformar a fachada da casa onde morava, substituindo as velhas e rotas janelas de madeira por “modernas” estruturas metálicas, comprometendo assim parte do meu pequeno salário por algum tempo.
A reforma da fachada da minha casa foi por mim estabelecida como prioridade. Estratégia para melhorar a aparência daquela moradia que acolhia minha modesta família.
De lá pra cá sempre apliquei esta pequena e infalível fórmula que me garantiu certa tranquilidade financeira, apesar das dificuldades de qualquer trabalhador assalariado.
Em uma empresa pública, as regras devem ser outras, mas acredito que o planejamento estratégico e a definição de prioridades devem ser as tarefas obrigatórias de cada administrador público. Não é possível apenas preencher velhas e viciadas planilhas financeiras e apresentá-las como orçamento de uma comunidade sem ao menos passar por uma análise altamente técnica, ousada e criteriosa.
O que notamos em nossa cidade é a ausência de planejamento estratégico, por parte da administração municipal. Tudo continua sendo feito na base de reajustes inflacionários, sem nenhum parecer técnico qualitativo, sem o estabelecimento de prioridades e – como bom sonhador que sou – nenhuma participação popular.
O planejamento faz parte da Secretaria de Obras e Planejamento, mas parece que por lá não tem ninguém capacitado para discutir com as demais áreas administrativas como dividir o “mísero” recurso arrecadado dos munícipes, priorizá-lo e aplicá-lo com transparência e sabedoria. Imagine que daria até para traçar estratégias para aumentar a arrecadação, desde que se investisse na geração de emprego e renda da população.
Os anos passam, os prefeitos se elegem e simplesmente pagam contas que não sabem do que e por que e continuamos sem saber para onde iremos.
Planejar é possível, mas precisa vontade política e capacidade administrativa.
Não entendo muito da coisa. Mas até o momento nunca precisei passar um “cheque sem fundo”. Tenho dito.

 

 

12/12/2011

VALORES INVERTIDOS


É difícil conviver em uma sociedade quando um cidadão – consciente de seus direitos –tenta defender a vida, a natureza ou a sua própria história e recorre às instituições públicas, tais como Ministério Público, IAP – Instituto Ambiental do Paraná ou até mesmo ao IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional –, órgãos fiscalizadores, no sentido de alertar abusos ou crimes cometidos por algum cidadão ou entidade governamental da cidade. Infelizmente o cidadão é rifado pelos “safados de plantão” e de mocinho passa a ser tratado como bandido. “Bom mesmo” é quem se apropria de recursos públicos, digo, rouba e vira “doutor”, empreendedor e até é convidado para se tornar assessor no “Ministério da Hipocrisia e da Mediocridade”.

Publicada no blog e no livro "Tenho dito" de 2006.

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

EM UMA SÓ PALAVRA

Faltam apenas alguns dias para o termino da gestão do senhor João Domero, a frente da administração do nosso município. Como este blog tentou avaliar através de enquetes todas as etapas, não se faz necessário nenhuma avaliação, a não ser escolher uma palavra como mote significativo. Todas estão as escutas de cada um cidadão que se sentiu injuriado e abandonado nestes quatro ano de governo. Escolha e VOTE na coluna da Enquete ao lado direito do blog.
Boa votação...apesar que..."rei deposto é rei morto!".

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

ÍCARO E LABIRINTO no MAC-PR.

Mostra de arte ÍCARO e LABIRINTO, dos artistas conterrâneos André Serafim, Bení Moura e o antoninense Marcel Fernandes. Abertura dia 10 de novembro, quinta-feira, às 17h.
No Museu de Arte Contemporânea do Paraná.

Vale a pena conferir!

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Guenta Antonina!

“Guenta!”

Não é nenhuma novidade o estado de abandono em que nossa cidade se encontra, agravada ainda mais pela atual administração – se é que podemos chamar de administração – do senhor João Domero. Marcada pela total falta de vontade, desinteresse e capacidade em gerir a “coisa” pública. Nem ao menos os serviços básicos de limpeza, pavimentação, calçamentos, iluminação e cuidado com as praças e logradouros são atendidos a contento.
Passaram-se quase uma gestão inteira e em nenhum momento a comunidade sentiu que poderíamos chegar a um mínimo Plano de Gestão. Tudo não passou de um jogo de interesses em amparar os “amigos” para engordar suas contas bancárias em detrimento da missão pela qual foi eleito.
Sua desaprovação junto à comunidade é tão visível, que no último momento e como suspiro de morte, desistiu da sua candidatura a reeleição. Pois, com certeza os sábios eleitores iriam lhe retribuir o mesmo tratamento que receberam durante os quase quatro anos de desgoverno.

Haja paciência
Restando pouco mais de setenta dias da atual gestão, tudo indica que o descaso será ainda mais agravado. As ruas centrais da cidade, praças e logradouros estão parcialmente às escuras. Sem falar nos bairros, que não recebem uma lâmpada há mais de anos.
Moradores têm procurado a prefeitura, através da Secretaria de Obras e o que se ouve da porta-voz é sempre o mesmo: “não tem lâmpadas para recolocação!” Os contribuintes até se oferecem a comprar lâmpadas, daí muda a desculpa: “O guincho do caminhão está quebrado”. Ou seja, parece que estão realmente se despedindo e a tarefa é deixar a cidade o mais sucateada possível... E o caixa zero.
Com o início do verão, estação de muito sol e chuva, o mato cresce ainda mais rápido e com certeza, teremos mais um problema a resolver: a retomada da cidade pelo mato. Fora dengue, falta de água e outras “cozitas mas” da estação.

Nova gestão
Esperar da nova gestão a solução dos problemas, é esperar muito tempo. Pois somente em janeiro que terá possibilidade de reconhecer o tal rombo financeiro e administrativo que herdou. Como moradores, devemos tomar alguma atitude, na tentativa de amenizar tais problemas. Caso não tenhamos solução, devemos apelar ao Ministério Público e cobrar pelos serviços dos quais temos direito constitucionais. E tenho dito!
Guenta. 

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Litoral do Paraná tem novo Mapa do Turismo...

Litoral do Paraná tem novo Mapa do Turismo... Antonina está na categoria D.

O novo mapa elaborado pelo Ministério do Turismo coloca Guaratuba, Paranaguá e Matinhos na categoria B. Pontal do Paraná e Morretes na categoria C e Antonina e Guaraqueçaba na categoria D.
No Paraná, 224 dos 399 municípios estão no Mapa. Apenas Curitiba e Foz do Iguaçu foram classificados na categoria A. Na categoria B são apenas 9 municípios, três no Litoral. Na C, 31 no Paraná e 2 no Litoral. Na D, 138 e apenas 2 no Litoral. Na E, 44 no Paraná e nenhum no Litoral.
A categorização leva em consideração três fatores principais:
– Número de estabelecimentos formais no setor de hospedagem (fonte: RAIS/ Ministério do Trabalho e Emprego).
– Estimativa do fluxo turístico doméstico (Estudo da Demanda Doméstica (fonte: Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas – FIPE/MTur).-
– Estimativa do fluxo turístico internacional (Estudo da Demanda Internacional – fonte: FIPE/MTur).

Dentro da metodologia, as cidades contempladas nas categorias A, B e C contam, em todo o Brasil, com 95% dos empregos formais em meios de hospedagem 87% dos estabelecimentos formais de meios de hospedagem, 93% do fluxo doméstico e têm fluxo internacional.
Os municípios dos grupos D e E, reúnem características de apoio às cidades geradoras de fluxo turístico. Muitas vezes são aquelas que fornecem mão de obra ou insumos necessários para atendimento aos turistas.
O Mapa do Turismo Brasileiro é um instrumento de orientação para a atuação do Ministério do Turismo no desenvolvimento de políticas públicas, tendo como foco a gestão, estruturação e promoção do turismo, de forma regionalizada e descentralizada. Sua construção é feita em conjunto com os órgãos oficiais de Turismo dos estados brasileiros.


Gente da Gente...Memória fotográfica

No Jekiti:
João Alberto (Zoa Araponga)
Antonio Eugênio (Pelica)
Valnei e Euracy Madureira

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

CAMPANHA E GOVERNO...para não ter que escrever de novo.

imagem meramente ilustrativa
Publicado no blog em 14/10/2008 e no livro “Tenho dito” em 2012
CAMPANHA E GOVERNO

Após a vitória conquistada nas eleições, o grupo do candidato vitorioso já deve estar pensando na montagem da equipe de governo. Pois, nada mais nada menos de 75 dias separam a intenção da ação. O candidato eleito muito bem sabe – com sua experiência – que equipe de campanha é diferente de equipe de governo. Se não sabe é preciso usar do pouco tempo para analisar seus pares e compor sua equipe, pois a responsabilidade que tem em suas mãos – lidou com o sonho dos eleitores – é tamanha, árdua... Mas preciosa.
Acredito que os erros cometidos pela atual gestão, tais como falta de prioridades, arrogância e desprezo aos setores, principalmente os organizados, servem de exemplos para que o próximo governo comece alicerçado em ações assumidas durante a campanha, com humildade e compromisso com a comunidade. Em uma cidade pequena como a nossa, desprezar a comunidade é dar um tiro no próprio pé. Não tem apoio divino ou governamental que salve o mandatário.
Como um profissional do direito, o prefeito eleito deverá – em seu primeiro momento – instaurar uma comissão de sindicância para constatar, de fato e de direito, em que estado está recebendo as contas da Prefeitura. Todos os eleitos juram que farão sindicância... Mas depois amolecem e deixam as contas rolarem. Dá espaço ao adversário para iniciar o seu retorno. Adversário político não é inimigo, mas é a única cria humana com poder de ressuscitar.
Nós eleitores e contribuintes queremos passar a limpo as contas da prefeitura e acreditamos que o prefeito eleito preserve sua administração de possíveis irregularidades. Antonina é preciso ser passada a limpo.
Outra ação que se fará necessária é uma reforma administrativa emergencial... JÁ! Não dá para simplesmente sentar na poltrona e preencher os cargos disponíveis. A racionalização administrativa e financeira é algo que irá dar um novo fôlego real à nova administração.
Montar seu quebra-cabeça o prefeito eleito já deve estar fazendo, mas somente teremos reais definições no dia primeiro de janeiro, dia da posse. Antes tudo não passará de simples especulação. O cobertor é pequeno e tem muita gente que irá ficar com os pés para fora.
O que mais se sente é a disposição da comunidade – principalmente a organizada – em querer participar, independentemente da equipe para a qual o prefeito irá confiar os desígnios da nossa cidade para os próximos quatro anos. Queremos uma cidade VIVA.

Nota de edt. do blog: o tempo passa e a cada eleição nossas esperanças se renovam, mas parece que os eleitos continuam ignorando seus deveres. Hoje repetimos tudo de novo, reconsiderando as atitudes do novo eleito. Que tem todos os atributos necessários para, de uma vez por todas, iniciar um novo ciclo da nossa tão desgastada cidade. 

domingo, 2 de outubro de 2016

EM ANTONINA DEU ZÉ PAULO NA CABEÇA!

Resultado das Eleições 2016 em Antonina

1-     Zé Paulo 40 PSB – 5.709 votos 46,30%  ELEITO
2-     Mônica 23 PPS – 3.995 votos  32,40%
3-     Jefferson 25 DEM – 1.747 votos 14,17%
4-     Luis Amilton PV – 752 votos  6,10%
5-     Scarante PMN – 128 votos  1,0%

Votos Brancos: 217 (1,66%)
Nulos 498 (3,82%)
Votos válidos 12.331 (94,52%)

Vereadores eleitos

1-     Rozane Tibe PTB 478 votos
2-     Vitor Fernandes PTB 472 votos
3-     Romário PSL 401 votos
4-     Celso Padeiro PSB 375 votos
5-     Sandra PTB 349 votos
6-     Roberto Fernandes PSB 341 votos
7-     Valmir Godói PSL 321 votos
8-     Zé Boiadeiro DEM 285 votos
9-     Paulão DEM  283 votos
10- Carlos Bandeira DEM 280 votos
11- Paulo Broska PSDB  236 votos

Fonte: site do TRE-PR

P.S. O pitaco do Bó, (postado em 26 de setembro) apontou a colocação dos candidatos a prefeito em Antonina. Não temos uma bola de cristal, mas parece que sabemos traduzir a vontade do nosso eleitorado. Agora é torcer e cobrar dos eleitos.

Pitaco  "De alguma maneira sempre marquei presença nos pleitos municipais. Analisando propostas das candidaturas, performance e até enquete pelo blog (agora é proibida). Coincidência ou não, minhas intromissões tem sido certeiras.
Em 2004 mirei no Kleber, em 2008 cantei a bola do Canduca e João em 2012. Agora vai dar Zé Paulo, seguido por Mônica, Jefferson, Pirulito e Scarante. Apenas palpite de um mortal cidadão, mas não precisa ninguém levar a sério, pois quem decide mesmo é o eleitorado, domingo dia 02 de outubro. E tenho dito!"